TOXINA BOTULÍNICA (BOTOX®)

Claudia Eliza Papa

TOXINA BOTULÍNICA (BOTOX®)

Solução prática e rápida por um excelente período de tempo.

A toxina botulínica popularmente conhecida como Botox® é uma toxina produzida por uma bactéria chamada Clostridium botulinum. É a mesma bactéria causadora da doença botulismo, mas, a toxina botulínica industrializada é purificada e usada em doses que não causam a doença. 

Há um número progressivo de indicações estéticas e terapêuticas, como no uso do tratamento para a hiperidrose (suor excessivo) em axilas, mãos e pés e casos de crianças com problemas musculares. Essa aplicação permite que a região ganhe mais flexibilidade em pés, pernas, braços. 

A toxina botulínica para uso estético é indicado para suavizar as rugas e linhas de expressão do rosto. Entre as linhas tratadas estão às rugas da testa, a glabela, espaço entre as sobrancelhas, e os pés de galinha, rugas que se formam na região dos olhos. 

Esse tratamento é mais procurado por pessoas acima dos trinta anos de idade, quando os sinais começam a ser mais visíveis. Uma avaliação médica vai dizer se existe realmente a necessidade da aplicação. Em comparação com as cirurgias e cremes para rugas e linhas de expressão, a toxina botulínica costuma trazer resultados de forma mais simples e rápida, sem cortes. 

Quando injetada nas rugas, a toxina botulínica age como um bloqueador neuromuscular, ou seja, bloqueando a transmissão de estímulos dos neurônios para os músculos, impedindo, parcial ou totalmente, a contração muscular. 

O início do efeito proporcionado ocorre entre três e sete dias após a aplicação e seu efeito pode durar de quatro a seis meses - em média e de acordo com cada organismo. Após este período as rugas voltam a aparecer, necessitando de novas aplicações. 

O efeito colateral mais comum é uma sensação de queimação temporária. Alguns pacientes referem dor de cabeça logo após o tratamento, facilmente controlada com analgésicos. Por se tratar de uma injeção pode ocorrer a formação de hematomas no local da aplicação, que desaparecem após alguns dias. O paciente deve permanecer, após a aplicação, no mínimo quatro horas sem manipular os locais tratados. Deve evitar massagens e, principalmente, não se deitar durante essas quatro primeiras horas. É aconselhável evitar o banho de sol por pelo menos sete dias e, se inevitável, utilizar um bom protetor solar sob orientação do seu médico.

Gostou? Compartilhe: