PROFESSOR, SEU ALUNO PRECISA DE UMA NEUROPSICOPEDAGOGA?

Lana Petrini

PROFESSOR, SEU ALUNO PRECISA DE UMA NEUROPSICOPEDAGOGA?

Na prática clínica e em parceria com professores e educadores, percebo que os mesmos ficam desnorteados e aflitos quando se deparam com as dificuldades de aprendizagem dos seus alunos.

Nesses casos, orientações adequadas de como agir perante tais dificuldades são necessárias. E nisso, a neuropsicopedagogia pode ajudar muito. 

Em princípio é importante saber que a aprendizagem é inerente ao ser humano. Todos aprendem! E em algumas ocasiões, o processo da aprendizagem pode ser sofrido e dificultado por distúrbios, transtornos e algumas dificuldades de aprendizagem.

Nesses casos a necessidade da avaliação, intervenção e prevenção neuropsicopedagógica se faz necessária.

A Neuropsicopedagogia Clínica possibilita o diagnóstico de processos anormais na estrutura, na organização e no funcionamento do sistema nervoso central, o qual está diretamente ligado à aprendizagem pelas funções cognitivas.

Crianças, adolescentes e pessoas desatentas, distraídas, agitadas e irrequietas, tristes ou depressivas, que possuem dificuldades para ler, escrever e executar com eficiência as operações matemáticas, que trocam letras ou não estruturam nem interpretam textos e apresentam dificuldades motoras precisam de acompanhamento neuropsicopedagógico. 

Através da avaliação clínica a neuropsicopedagoga identifica as áreas de competências e limitações, elabora um plano individual de intervenção que permite o desenvolvimento e aplicações de programas e técnicas neuropsicopedagógicas dirigidas à aquisição de conhecimentos, tendo em conta a etapa de desenvolvimento e as necessidades de cada caso.

Com conhecimentos multidisciplinares e métodos próprios de atuação que estimulam as funções cognitivas, a Neuropsicopedagoga Clínica é a profissional que avalia e intervém para facilitar o sucesso escolar, melhorar a capacidade de aprendizagem e promover um maior equilíbrio emocional e psicossocial no indivíduo. E em situações mais específicas, após avaliação e parecer, encaminha cada caso aos profissionais especializados. 

A orientação familiar, bem como a orientação escolar também são funções da neuropsicopedagoga. 

Portanto professor, quando perceber que seu aluno apresenta alguma dificuldade, encaminhe-o para uma avaliação neuropsicopedagógica.

Gostou? Compartilhe: