SONS E RUÍDOS

Luciana Ramos

SONS E RUÍDOS

Quanto maior o nível da intensidade sonora, menor deve ser o tempo de exposição diária perto dele – é a recomendação!

Sons e ruídos fazem parte da nossa vida. No entanto é preciso tomar cuidado com o excesso de barulho dado os problemas irreversíveis que ele pode trazer à audição. Quanto maior o nível da intensidade sonora, menor deve ser o tempo de exposição diária perto dele – é a recomendação! De preferência ficar longe deles é o mais aconselhável. Como nem sempre é possível, conheça de verdade as coisas do dia a dia que podem machucar pra sempre sua audição.

Muita atenção para os meses de junho e julho que são marcados pelas festas típicas recheadas com “bombas”. Esse ano, em especial, as festas típicas dividem espaço com a Copa do Mundo. E haja rojão! Todas essas festas e comemorações são lembradas pelas intensas queimas de todo tipo de fogos. Coitados dos nossos ouvidos!

A intensidade sonora que atinge o estouro de um rojão ou bomba, por exemplo, pode proporcionar traumas acústicos imediatos e irreversíveis.

O excesso de ruído é prejudicial à saúde da audição – todos sabem. O seu filho talvez ainda não saiba! Não é possível usar protetores de ouvido, pois estamos em festa, então devemos escolher os ambientes menos agressivos para comemorarmos, principalmente para as crianças e idoso que na maioria das vezes não conseguem avaliar a gravidade da situação e se proteger. 

Perdas causadas por ruído em regra resultam em lesões que afetam as frequências agudas – som mais “fino”. Essa perda é a responsável na maioria das vezes pela queixa “eu escuto, mas não entendo”. E aí começam os “Ah?”. Este tipo de perda, assim como outras, pede o uso de aparelhos reguladores com recursos específicos para cada caso. Ficam aqui dicas para uma vida mais feliz com o seu ouvido – e com o ouvido de quem você ama.

SONS E RUÍDOS

Gostou? Compartilhe: