AÇÕES PREVENTIVAS CONTRA O CÂNCER

AÇÕES PREVENTIVAS CONTRA O CÂNCER

Por Assessoria de Imprensa AFPESP

Crise da Covid-19 levou à paralisação, em 40% dos países pesquisados, do tratamento do câncer, que matou 10 milhões de pessoas no mundo em 2020.

"Neste Dia Mundial de Luta Contra o Câncer, 4 de fevereiro, é importante reiterar a necessidade de prevenção e diagnóstico precoce da doença, que é a segunda mais letal, atrás apenas das cardiovasculares", alerta o médico pneumologista Álvaro Gradim, presidente da Associação dos Funcionários Públicos do Estado de São Paulo (AFPESP). Por ocasião da data, a Organização Mundial de Saúde (OMS) divulgou os dados de 2020 sobre a doença.

O número de pessoas diagnosticadas foi de 19,3 milhões no ano passado, com cerca de 10 milhões de óbitos. Setenta por cento das vítimas fatais viviam em países de baixa e média rendas. Uma em cada cinco pessoas em todo o mundo desenvolve câncer. Além disso, um em cada oito homens e uma em cada 11 mulheres morrem. "Esses números da OMS reforçam a necessidade de prevenção e diagnóstico precoce", afirma Gradim.

O tabagismo é a causa mais grave, responsável por aproximadamente 22% das mortes por câncer. Infecções como hepatite e HPV são causadoras de 25% dos casos em países de baixa e média rendas. Obesidade, sedentarismo e consumo inadequado de álcool são fatores de risco, assim como questões ambientais, como poluição do ar e da água. A radiação ultravioleta, principalmente resultante da exposição ao sol, continua sendo a principal causa de câncer de pele.

"É preciso ficar atento a todos esses fatores, buscando prevenir-se. O check-up regular também é importante, pois indica se a pessoa está com alguma doença ou sintomas iniciais", explica Dr. Álvaro, lembrando que a atual pandemia prejudicou esses exames periódicos, pois as pessoas passaram a ir ao médico basicamente quando estão doentes, devido à necessidade de distanciamento social.

O médico também demonstra sua preocupação com os dados revelados pela OMS de que, antes da pandemia, mais de 90% dos países de alta renda tinham serviços de tratamento disponíveis contra o câncer, mas isso acontecia em menos de 30% dos de baixa renda. A situação piorou, pois esses tratamentos foram interrompidos em mais de 40% das nações pesquisadas. "Além disso, pessoas que vivem com a doença correm maior risco de desenvolver formas graves de Covid-19", explica.

O Dia Mundial de Luta Contra o Câncer, 4 de fevereiro, é uma iniciativa global organizada pela União Internacional para o Controle do Câncer (UICC), com o apoio da OMS. Criada em 2000, por meio da Carta de Paris Contra o Câncer, a data tem como objetivo aumentar a conscientização e a educação mundial sobre a doença, além de influenciar governos e indivíduos para que se mobilizem pelo controle, evitando milhões de mortes a cada ano.

Números do Brasil
Estimativa do Instituto Nacional do Câncer (INCA) revelam que o Brasil teve 625 mil novos casos da doença em 2020, sendo 50,3% em homens e 49,7% em mulheres. O câncer de pele não melanoma é o mais recorrente, seguido por mama, próstata, cólon e reto, pulmão e estômago. O Nordeste tem a maior incidência de câncer de próstata, com taxa de 72,35 a cada 100 mil habitantes. O Sudeste concentra o maior número de casos de câncer de mama, com 81,06 a cada 100 mil habitantes.  

Gostou? Compartilhe: