PARA OS SINAIS DO TEMPO E DA EXPERIÊNCIA, RITIDOPLASTIA

Denis Vincenzi

PARA OS SINAIS DO TEMPO E DA EXPERIÊNCIA, RITIDOPLASTIA

Com variadas possibilidades você pode trazer um pouco mais de juventude para o seu eu.

O "lifting" é uma palavra derivada do verbo inglês "to lift", que significa levantar. No campo da estética é o “levantamento” da face. Em nosso idioma dizemos ritidoplastia, ou, cirurgia das rugas faciais. É uma das cirurgias plásticas mais realizadas em território brasileiro. Na aplicação da técnica, primeiramente devemos entender quais as regiões da face são abarcadas em conjunto ou isoladamente pelos procedimentos. E são elas: 

Terço superior da face: compreende a região acima das orelhas, percorrendo a linha de implante dos cabelos até o lado oposto simétrico; 

Terço médio da face: vai da região pré-auricular até o lóbulo da orelha de cada lado; 

Terço inferior da face: estende-se da região medial posterior da orelha, descendo pelo pescoço, cruzando-o mediamente até o outro lado, simetricamente. 

É uma cirurgia estética e corretiva, que visa erguer os músculos faciais no sentido cranial, e, a pele no sentido transversal ascendente. Os melhores resultados são obtidos geralmente com pessoas acima dos 40 anos, quando o espírito ainda é jovem, mas o tempo e a experiência faz questão de se mostrar no rosto.

Gradativamente se formam o sobre queixo (papo), ou o bigode chinês na região nasogeniana, ou o declínio das bochechas e a sobra de pele na região da mandíbula (buldogue). 

Importante salientar que esta cirurgia não pode parar o processo de envelhecimento e tampouco mudar drasticamente seu rosto. Trabalha-se sua aparência, devolvendo-lhe de certa maneira o frescor perdido. 

Pode ser realizada em regime ambulatorial, sob anestesia local e com sedação leve. Nas incisões maiores envolvendo os três terços é recomendável a internação e anestesia geral, e, pode haver indicação conjunta da cirurgia das pálpebras, enxerto de gordura nas bochechas, aumento do vermelhão dos lábios com ácido hialurônico, lipoaspiração e outros. Os riscos mais frequentes são os hematomas, os seromas, a dormência transitória da pele e a cicatrização inestética. Quanto à lesão de algum dos nervos da face, a ocorrência é mais rara. 

Evidentemente não é uma cirurgia para médicos inexperientes ou estranhos a especialidade, pois a área a ser descolada fica imediatamente acima da glândula parótida, veias jugulares e pouco acima dos nervos motores faciais. É de suma importância que o profissional seja cirurgião plástico com especialidade reconhecida pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica e Conselho Federal de Medicina, o que pode ser verificado nos nichos eletrônicos dessas instituições.

Gostou? Compartilhe: