EM PLENO VOO...

Ana Paula Banov

EM PLENO VOO...

Quando você pensar que chegou, ainda pode haver uma jornada linda.

Envelhecer é inevitável, o tempo passa para todos nós. Apesar de que, provavelmente, nunca paremos para pensar seriamente sobre isso, mas esperamos todos ficarmos bem velhinhos.

Chegar aos 60, 65 anos pode trazer consigo desafios: dores, doenças, perdas, solidão, insegurança, medo. A tão esperada aposentadoria pode transformar-se em limitação financeira e diminuição das relações sociais.

Além disso, naturalmente aparecem alguns questionamentos relacionados às realizações: O que fiz da minha vida? Quanto tempo me resta? O que fazer agora?A primeira consideração que devemos fazer é que o envelhecimento nada mais é do que uma etapa do desenvolvimento humano, como é a infância ou a adolescência. E como tal, também contém perdas e ganhos. Perdemos a juventude, mas ganhamos sabedoria. Paramos de trabalhar, mas ganhamos tempo para investir em novos projetos.

Para que possamos viver esta etapa, de forma plena, devemos dar um novo significado para nossa vida, diminuindo a crueldade que temos conosco, tirando o foco do nosso próprio sofrimento. Como? Aprendendo a nos amar novamente! Fazendo as pazes com o nosso passado, porque cada memória é uma versão pessoal do acontecimento, então é necessário reconstruir a própria história interna. Assim, é possível reconciliar passado e presente, e buscar satisfação na realidade superando as dificuldades de uma forma naturalmente agradável.

A partir daí, é hora de descobrir novos objetivos, novos prazeres. Resgatar sonhos, desenvolver potenciais adormecidos. Que tal colocar em prática a caminhada diária? Aprender uma nova língua? Fazer a tão sonhada faculdade? Realizar aquela viagem? Se dedicar à culinária? Ler todos aqueles livros guardados? Fazer artesanato? Dançar, cantar? Tantas coisas ficaram para depois ao longo de décadas, agora é hora de realizar com mais liberdade e tempo livre, despertar o adormecido. Ser feliz! Procure ajuda se precisar.

Gostou? Compartilhe: