COMO SER COMPETENTE NA ARTE DE SE EXPRESSAR?

Roseli Almeida

COMO SER COMPETENTE NA ARTE DE SE EXPRESSAR?

TEMOS TRÊS FORMAS DE NOS COMUNICAR COM AS PESSOAS: AGRESSIVAMENTE, ASSERTIVAMENTE E PASSIVAMENTE.

Para iniciar um processo de comunicação você precisa saber claramente qual é a sua intenção, ou seja, o que você quer transmitir e onde você quer chegar com a mensagem. Dependendo da sua intenção deverá ser utilizada uma linguagem correspondente, para a melhor condução da conversa.

Temos três formas de nos comunicar com as pessoas: agressivamente, assertivamente e passivamente.

O comportamento agressivo pode ser adotado em função do medo de ser “esmagado”, numa relação direta com o outro, também por um desejo de vingança, ou, por ter se sentido “invadido”, menosprezado ou mesmo contestado com uma opinião totalmente contrária.

Linguagem de conflito

  • Imposição de ideias: “As coisas deveriam ser feitas como eu penso, caso contrário...”;
  • Depreciação do Interlocutor: ”Eu fico irritado quando alguém discorda de mim...”;
  • Inflexibilidade: “Quando entro numa briga, não saio mais...”;
  • Rigidez na Argumentação: “Não desisto. Enquanto o outro não concordar comigo...”;
  • Falta de Interesse pelo outro. Dificuldade em ouvir o outro: “Minha verdade é tão óbvia, não entendo por que não percebem...“;
  • Excesso de racionalidade: “As pessoas que precisam de elogio são fracas. Penso que cumprir com sua responsabilidade é sua obrigação”;
  • Manipulação do Interlocutor: “Eu falo sempre o que o outro quer ouvir. Por isso, uso as próprias palavras dele como argumentos”.

 

No comportamento não assertivo e/ou passivo, a pessoa não expressa suas necessidades, pensamentos e sentimentos, permitindo que os outros os determinem. A pessoa passiva tende a pensar na resposta depois de passada a oportunidade. Fica, normalmente, ressentida consigo, com a sensação altamente desconfortável de “ter engolido mais um sapo”.

Temos também, como intermediário, o comportamento passivo-agressivo, onde a pessoa sabe o que quer, mas não tem coragem de fazer valer sua vontade, amargando sua raiva - que pode se emoldurar numa ironia/sarcasmo.

Já no comportamento assertivo, a pessoa se comunica de forma ativa, direta e honesta, transmite uma impressão de respeito a si mesmo e aos outros. Pessoas assertivas trabalham para que nos resultados hajam situações de "ganha-ganha"

Ser assertivo significa ser capaz de entender você mesmo e as razões que estão por trás de suas ideias, o que gosta e o que não gosta, entender suas ações. Na vida real ninguém é constantemente assertivo.

Linguagem do comportamento assertivo

  • Tom de voz: seguro, confiante, firme, modulado, relaxado e calmo;
  • Postura Corporal: linguagem corporal descontraída e relaxada, com movimentos abertos, postura natural, bem posicionada, inclinada para frente, autoconfiante, ereto, olhar firme e intermitente;
  • Expressões Faciais: diretas, autênticas, risonhas e ar de feliz;
  • Mãos e braços: movimentos abertos, informais, espontâneos e despreocupados.

 

O que você prefere usar? A linguagem do conflito ou a linguagem da cooperação?

 

Despertando a Cooperação

Se você quer se expressar de forma assertiva, comece sua fala utilizando a forma “EU + AFIRMAÇÂO”. Essa técnica estimula o interlocutor a colaborar com você, pois demonstra que você assume a responsabilidade por seus sentimentos.

  • Comece com a palavra EU;
  • Expresse seu sentimento, pensamento ou necessidade;
  • Fale sobre o comportamento do outro, que causou o conflito;
  • Expresse a consequência ou a modificação que você deseja e o porquê.

 

No papel de parceiro/parceira, por exemplo:

Quero que saiba que EU estou cansada de trabalhar fora e ainda fazer o trabalho doméstico. Isso está me causando estresse e mau humor. Gostaria de poder compartilhar os afazeres domésticos com você... caso contrário, teremos de pagar uma empregada. O que você pensa a respeito?”

No papel profissional, por exemplo:

EU me sinto constrangido quando você passa a informação diretamente para meu chefe. Que tal conversarmos antes?”

Quando se usa “EU + AFIRMAÇÃO”, as chances de haver “mal entendido” na comunicação com os outros são mínimas, pois ao assumir a responsabilidade pelos seus sentimentos, pensamentos e desejos, não acusa e nem avalia o comportamento do outro. Além disso, diminui a chance de criar atitudes de resistências e mecanismos de defesa.

Você é responsável pelo que você faz e fala, porque suas palavras e ações estimulam nos outros emoções, positivas ou negativas”.

Observe seu próprio Comportamento

Você tem sido assertivo? Está satisfeito com sua atuação nas relações interpessoais? Faça um mapeamento de seus relacionamentos e analise como você se comporta com cada pessoa.

Todavia, você pode também concluir que, naquela determinada situação é melhor escolher a não asserção. A escolha é a palavra chave do processo assertivo.

Procure ser compreensivo, e escolha não ser assertivo, quando você perceber que o outro está em uma situação difícil e adversa. “Se o custo é maior do que o benefício, escolha não ser assertivo”, vale à pena.

Às vezes, dada a insistência do outro na tentativa de prejudicá-lo, você terá de enfrentá-lo, pondo as cartas na mesa, com extrema firmeza, porém sem violência e agressão. E assim você resolverá o problema definitivamente. E se você estiver errado, se sentir errado? Lembre-se do seu direito de pedir desculpas.

Então, comunicar-se assertivamente é dizer:

  • A coisa certa;
  • Da forma certa;
  • Na hora certa;
  • No local certo;
  • Para a pessoa certa;
  • Quando o benefício é relativamente maior que o malefício.

 

*Alguns Trechos extraídos livro: Seja assertivo- Vera Martins.

 

Você pode se interessar: RELACIONAMENTO E REDES SOCIAIS

Gostou? Compartilhe: